Resenha K-Drama | Goblin: The Lonely and Great God (Goblin: O Solitário e Grande Deus) - Cantinho da Leitura

Resenha K-Drama | Goblin: The Lonely and Great God (Goblin: O Solitário e Grande Deus)

22.1.17


Título Original도깨비 | Títulos Populares: Guardian - The Lonely and Great(Goblin - O Solitário e Grande Deus), e Globin(Guardião/Duende) | Período de Transmissão: 02/12/2016 - 21/01/2017 | Classificação Indicativa: PG 13


Os fãs do K-Drama Globin: The Lonely and Great God se despediram recentemente desta incrível história de amor e confesso que tive muita dificuldade em fazer está resenha porque esse drama em específico conseguiu me emocionar de uma forma tão intensa que só de pensar nos personagens e na trajetória que todos percorreram até o episodio final(16), o episódio que tenho certeza que fez todos chorar como se não houvesse amanhã pois foi exatamente com essa sensação que esse drama me deixou. 

Dificilmente uma outra novela seja coreana ou chinesa superará ou mesmo me surpreenderá da mesma forma que Goblin foi capaz. Eu espero conseguir passar todo o carinho e amor que eu sinto por essa história através dessa resenha e além disso espero conseguir despertar o interesse em vocês para que assim também conheçam e venham a entender todo esse fascínio que tenho por Globin: The Lonely and Great God

Goblin desde a sua estreia(02/12/2016) ganhou espaço no mundo do entretenimento e aos poucos de uma forma assustadora conseguiu chegar a um imenso público devido a rapidez que só a tecnologia é de capaz de proporcionar e no Brasil não foi diferente como temos dois meios oficiais de assistir a novelas orientais apesar da série em um deles não ser permitido ser visualizada e no outro se restringir a assinantes ela acabou se tornando viral entre os brasileiros. 

Eu fui apresentada a Goblin por simplesmente ser curiosa demais, confesso que eu não pretendia assistir a esse drama pelo o enredo ter criaturas místicas de folclore, isso não estava nas minhas metas e a curiosidade no final terminou me domando e logo fui apresentada a atores e atrizes que por se só já são incríveis pois atuam extraordinariamente bem e o surpreendente diante da atuação do elenco é a forma como todos conseguiram passar a quem assistia uma emoção grandiosa e uma dor que cada um de seus personagens carregam, é o ponto positivo mais impressionante com certeza sobre esse drama.


O drama da vida de Kim Shin(Globin) se inicia na era Goryeo onde foi um general militar. Kim Shin na época foi considerado um Deus pois em todas as guerras ele saia vitorioso e enquanto ele existisse esse título só se perpetuaria diante de suas vitórias. Com essa popularidade conseguiu atrair não só a atenção de boas pessoas e logo foi encurralado em uma armadilha onde o próprio jovem rei por inveja matou inocentes, incluindo a própria rainha, está irmã de Kim Shin e o condenou a morte por traição.

O divino Deus diante dessa trágica história concede a Kim o retorno a vida com a missão de proteger pessoas do sofrimento e o seu próprio sofrimento só viria ao fim quando a noiva do Goblin retirasse a espada cravada em seu peito. A espada que pôs fim a sua vida diante de uma condenação injusta por quem amava e protegia com a própria vida.


Os anos se passam e Kim Shin(Goblin) se cansa de viver. Parece que nunca descansará, nunca terá aliviou sobre a tragédia que marca sua vida e diante de tamanho sofrimento consegue forças e salva uma jovem de uma morte horrível, não por ela e sim pelo o bebê que cresce em seu ventre. Com essa vida salva um cartão sem nome fica em posse de Wang Yeo(Ceifador) que tem como missão guiar as almas após a morte. 

Wang Yeo é misterioso e sua vida se resume ao seu trabalho, sem memória não sabe seu próprio nome e nem mesmo quem foi em sua vida passada e seus caminhos se cruzam após Yoo Deok Hwa, sobrinho e próximo guardião de Goblin alugar a casa onde vive por 20 anos para o Ceifador. Porém neste meio tempo muitas coisas acontecem e ele se nega a sair de sua própria casa, mas tanto o Goblin quanto o Ceifador são extremamente teimosos e passam a viver juntos. 


Enquanto os dois não decidem quem sairá da casa o Goblin acompanha de perto Eun Tak.

Eun Tak está no último ano do ensino médio e mora com os tios desde a morte de sua mãe. Eun Tak é uma jovem espirituosa e apesar da sua vida ser extremamente difícil sempre encontra motivos para sorrir. Após um inusitado encontro com o Goblin tem certeza sobre a sua identidade. Tem certeza que é a sua noiva. A noiva do Goblin. Desde de muito nova Eun Tak é perseguida por almas vagantes e sempre soube através deles que era a noiva destinada a um Goblin e conhecendo um não demorou muito para se dizer apaixonada e determinada veemente a segui-lo. 


Quase não tenho palavras para descrever este casal, desde o primeiro episódio notasse como os atores tem cumplicidade e não demorou muito para que eu me fascinasse com o romance.

O destino é o ponto chave da história de Goblin que sempre trás dois fortes sentimentos: amor e sofrimento. Como na vida passada do Goblin houve momentos de glórias e terminou sendo marcada por uma grande injustiça o presente não poderia ser diferente, apesar dos dois ser predestinados todo o sofrimento em volta de Goblin também é e desde o princípio era certo a missão da noiva do Goblin se eles se apaixonariam ou não dependeriam exclusivamente deles e após o encontro toda a história foi crescendo e um complexo quebra-cabeça foi se formando, a cada novo episódio novas peças eram reveladas e algumas respostas, na verdade, todas as respostas sobre a vida de cada um dos personagens surpreendeu e conseguiu fascinar a ponto de não só manter o público, tornar a história de Goblin conhecida no mundo todo.

O legal deste drama é que todos os personagens são igualmente importantes e que existe um mistério sobre a identidade deles. Depois que tantos anos se passaram quem o Goblin conheceu na era Goryeo obviamente foram morrendo e renasceram, alguns até com novos rostos o que é o caso de dois personagens da trama que têm papeis valiosos tanto na vida passada de Goblin quanto no presente e futuro.



Eu não poderia encerrar essa resenha sem comentar sobre Wang Yeo(Ceifador), como eu disse anteriormente ele não tem memória sobre quem é e a partir do momento em que ele conhecer Sunny, a proprietária de um restaurante de frango e chefa de Eun Tak(Noiva do Goblin) toda a trama tomara um rumo diferente. 

É inevitável que Sunny uma mulher linda e triste de espírito se apaixone pelo o Ceifador mais lindo e doce do drama. 


Apesar do casal Goblin tomar uma grande parcela dos episódios é difícil não torcer pelo o ceifador e Sunny. Desde o momento que ele apareceu no drama é nítido como ele é uma figura misteriosa que carrega uma grande dor que vai além do imaginado, é como se sua alma tivesse sido marcada pelo o sofrimento. 

É impossível assistir a esse drama e não sentir na pele o sofrimento dos personagens, sempre que eu via a expressão de dor no rosto do Ceifador meus olhos lacrimejavam pois é uma dor tão grande que batia no meu rosto e eu como uma pessoa sensível não conseguia impedir sentir também o que ele sentia e assim foi minha reação com cada um dos personagens. 


Goblin: The Lonely and Great God é uma história que toca a nossa alma, nos captura e mesmo depois do último episódio aquele aperto no coração não se cala, não se cansa e continua nos lembrando cada momento, cada cena assistida. Após o último episódio meus olhos estavam cansados pela quantidade de lágrimas que foram derramadas e uma coisa eu tenho certeza que mesmo que você descida assistir a essa novela e reflita sobre o final será muito mais que o imaginado, será muito melhor e maior.

Com pesar no coração assim encerro a resenha e me despeço de Goblin: The Lonely and Great God.

Você também pode gostar

0 (Comentários Desativados)

PARCEIROS 2016

PUBLICIDADE