Resenha | O Melhor de Mim, de Nicholas Sparks


Na primavera de 1984, os estudantes Amanda Collier e Dawson Cole se apaixonaram perdidamente. Embora vivessem em mundos muito diferentes, o amor que sentiam um pelo outro parecia forte o bastante para desafiar todas as convenções de Oriental, a pequena cidade em que moravam.

Nascido em uma família de criminosos, o solitário Dawson acreditava que seu sentimento por Amanda lhe daria a força necessária para fugir do destino sombrio que parecia traçado para ele. Ela, uma garota bonita e de família tradicional, que sonhava entrar para uma universidade de renome, via no namorado um porto seguro para toda a sua paixão e seu espírito livre. Infelizmente, quando o verão do último ano de escola chegou ao fim, a realidade os separou de maneira cruel e implacável.

Vinte e cinco anos depois, eles estão de volta a Oriental para o velório de Tuck Hostetler, o homem que um dia abrigou Dawson, acobertou o namoro do casal e acabou se tornando o melhor amigo dos dois.

Seguindo as instruções de cartas deixadas por Tuck, o casal redescobrirá sentimentos sufocados há décadas. Após tanto tempo afastados, Amanda e Dawson irão perceber que não tiveram a vida que esperavam e que nunca conseguiram esquecer o primeiro amor. Um único fim de semana juntos e talvez seus destinos mudem para sempre.

Lançamento: 06/10/2014 - Número de Páginas: 274 - Gênero: Romance/Drama - Skoob

 


Em O Melhor de Mim conhecemos personagens assombrados por fantasmas, antigos amores, e segundas chances. Parece ser a formula já conhecida e tão bem relatada nos livros anteriores do Nicholas Sparks, porém devo dizer que apesar disso, ele misteriosamente consegue nos levar a lugares inimagináveis, a presenciar sentimentos intensos e confesso, este é mais um romance que nos suga e nos deixa com a famosa depressão literária. 


Nesse romance nós conhecemos a história de Dawson Cole e Amanda Collier. 

Amanda é a típica bela garota popular, vivendo em uma pequena cidade da Carolina do Norte, é um exemplo de jovem moça, sendo a filha mais nova de uma família rica da elite, frustra as expectativas de sua família quando se envolve amorosamente com o jovem, Dawson Cole. 

Dawson, ao contrário de Amanda não tem uma família tradicional, sua família não é bem vista no bairro e apesar do romance, ele sabe que nunca merecerá o amor de Amanda e que não terá a aprovação de sua família. Infelizmente após o verão no último ano escolar, Dawson faz uma escolha, escolha está que iria marcá-los para sempre. 

Passado vinte anos desde o último adeus, Dawson Cole e Amanda Collier retornam a Oriental, para o velório de Tuck Hostetler, o homem que um dia abrigou Dawson, acobertou o namoro do casal e acabou se tornando o melhor amigo dos dois. 

Durante os anos longe da cidade natal, Dawson passou por diversos obstáculos e enquanto não esteve trabalhando em uma plataforma de petróleo, estava sozinho em seu trailer, na Nova Orleans. Enquanto isso, Amanda casou-se, teve filhos, e com tudo para ser uma mulher feliz a sua fragilidade emocional às vezes a faz se perguntar que vida teria se tivesse ficado com Dawson. 
"Sabia que o amor era difícil, assim como a vida. Sofria reviravoltas impossíveis de ser previstas ou mesmo entendidas, e deixava um longo rastro de arrependimento pelo caminho. E, quase sempre, esse arrependimento leva a perguntas do tipo "E se..." que nunca poderiam ser respondidas." 


Ao perder a filha mais nova para um câncer, Amanda vê seu casamento quase perfeito desmoronar, e após diversos episódios em seu lar o romance nos dará a possibilidade de ver este casamento infeliz a levar de volta para os braços de Dawson. 

No retorno a cidade Natal, o reencontro foi inevitável e pior, o confronto de seus desejos proibidos reacendem o intenso amor adolescente. Mas com a volta de Dawson um antigo ódio é relembrado, iniciando assim uma busca obsessiva por vingança pondo em risco sua vida. 

"Quero acordar de manhã com você ao meu lado, quero chegar à noite e jantar com você. Quero compartilhar com você cada detalhe bobo do meu dia e ouvir cada detalhe do seu. Quero rir junto com você e dormir com você em meus braços. Porque você não é só alguém que eu amei no passado. Você era minha melhor amiga, a melhor parte de quem eu sou, e não consigo me imaginar desistindo disso outra vez. - ele hesitou, buscando as palavras certas. - Eu lhe dei o melhor de mim e, depois que você foi embora, nada jamais voltou a ser o mesmo."

Nicholas Sparks não é conhecido por descrever personagens complexos, mas com certeza sabe fazer um leitor derramar lágrimas, sejam elas de alegrias ou de tristeza. Geralmente é de tristeza, sendo conhecido como um dos autores que não mede esforços ao assassinar seus personagens, desta vez Nick nos mostra de forma clara e simples as dificuldades que temos ao nos depararmos com incertezas, ou mesmo obstáculos no casamento.

Amanda Collier é uma mulher que perdeu um filho e sofre com esta perda, sem dúvida que merece minha admiração, suas emoções foram bem demonstradas, a vontade que eu tive foi de abraça-la e dar-lhe conselhos. A sua relação com seu marido Frank, é algo a se observar, apesar de sermos apresentados a um antigo amor - que persiste presente há mais de 20 anos - em nenhuma momento é visto como um erro. Porém, a história de Amanda e Dawson conseguiu me conquistar e me emocionar como a muito tempo nenhum autor fora capaz, o sentimento relatado neste romance é tão grandioso que após a leitura tirei minhas próprias conclusões. Existe diversos tipos de amor, e cada um é vivido de uma forma, todos são eternos a sua maneira, porém sempre vai existir um que poderá ser lembrado como o melhor, por ter sido vivido e sido entregue o melhor, está é a grande mensagem de  O Melhor de Mim.




NICHOLAS SPARKS lançou seu primeiro romance aos 31 anos, ao qual se seguiram outros 19 livros. Suas obras foram traduzidas para 50 idiomas e já venderam mais de 100 milhões de exemplares no mundo todo. Onze de seus livros ganharam adaptações para o cinema. O autor mora na Carolina do Norte e tem cinco filhos

Compartilhar:

0 (Comentários Desativados)