Resenha | Primeiro Amor, de James Patterson e Amily Raymond








Um retrato comovente de um verdadeiro amor, que vai tocar o coração de quem tem um primeiro amor.



Primeiro amor
Axi Moore é uma garota certinha, estudiosa, bem comportada e boa filha. Mas o que ela mais quer é fugir de tudo isso e deixar para trás as lembranças tristes de um lar despedaçado. A única pessoa em quem ela pode confiar é seu melhor amigo, Robinson. Ele é também o grande amor de sua vida, só que ainda não sabe disso. Quando Axi convida Robinson para fazer uma viagem pelo país, está quebrando as regras pela primeira vez. Uma jornada que parecia prometer apenas diversão e cumplicidade aos poucos transforma a vida dos dois jovens para sempre. De aventureiros, eles se tornam fugitivos. De amigos, se tornam namorados. Cada um deles, em silêncio, sabe que sua primeira viagem pode ser também a última, e Axi precisa aceitar que de certas coisas, como do destino, não há como fugir. Comovente e baseado na própria vida do autor, este livro mostra que, por mais puro e inocente que seja, o primeiro amor pode mudar o resto de nossas vidas.

Editora: Novo Conceito
Gênero: Drama
Ano: 2014
Páginas: 240
Nota:





Me apaixonei por este livro desde o primeiro instante que o vi na pagina oficial da Editora Novo Conceito, sua capa me chamou bastante atenção .



    Mais um sucesso de James Patterson, devo confessar que este é o primeiro livro dele que eu leio e já posso dizer que virei fã dos seu romances. Esse livro me surpreendeu com o seu conteúdo , sim eu sabia que iria encontrar um romance simples, bem intenso, mas  não achei que fosse tão tocante.

    O primeiro amor, conta a história de Axe Moore, e Oliver Robinson , dois jovens bem diferentes mas que se entendem como se fossem um só. Axe  tem 16 anos, e é uma menina muito correta, uma boa filha e aluna, eu me identifiquei com ela, pois apesar dessa fachada que diz Bem - vindo á todos, por dentro é um local escuro, silencioso, devastado, cheio de dor e sofrimento. 

   Robinson, um jovem de 17 anos, mas que o seu Bem - vindo é bem verdadeiro, ele é bem diferente de Axe, tem uma fachada verdadeira, aconchegante, ele é divertido, alegre, livre, diria que ele é um passarinho em meio a uma enorme floresta, sim tem medo, mas é feliz apesar dos risco que tem por viver como vive e onde.

   Eles são bem diferentes como eu disse , mas não é que os opostos se atraem mesmo?  referindo a amizade as vezes o diferente  se completa, ou seria amor?

  Depois que Axe conheceu Robinson,ele passou a ser seu porto seguro, não é surpreendente, pois meu melhor amigo também era meu porto seguro, aquele que faz com que o sofrimento seja esquecido por alguns minutos ou horas, Robinson é o tudo de Axe, e ela é tudo de Robinson. A amizade tem o poder de cura, não é atoa que dizem que amizade é tudo na vida de uma pessoa, muito mais que o amor em si, tendo amizade tem se tudo.

    Mas ela só ajuda, a dor continua ali, Axe perdeu a irmã e a mãe , sua irmã tinha o tão temido câncer e infelizmente não resistiu, sua mãe não aguentou a pressão e foi embora deixando Axe com o pai , e seu pai é um ' fracassado ', a dor o estilhaçou e ele tenta sua fuga através de bebidas alcoólicas, ela o ama apesar de tudo ele é um bom pai e nunca deixou que nada lhe faltasse , a não ser o mais importante, o carinho de pai.

    E como todos de alguma forma tenta amenizar o sofrimento com algo, Axe irá tentar sua fuga, assim como sua mãe fez, mesmo que isso traga mais sofrimento para o seu pai, é necessário, é preciso. Axe foge de casa e consigo leva o Robinson, até porque sua viagem não seria boa sem ele. Ela planejou tudo, e tem uma meta, vai tentar  curtir a vida , irá passar por cima da Axe que ela sempre foi, e finalmente irá simplesmente curtir.



   Esse tipo de coisa foi algo que sempre tive vontade de fazer, sair viajando por aí, sem saber o dia de amanhã, o que iria acontecer, e claro levar o meu melhor junto.. Mas a viajem de Axe vai bem até um ponto, pois tudo sai do controle quando Robinson começa a passar mal .

   Meu mundo de leitora cai nesse momento e percebo que não tem como voltar atrás e parar com a leitura, eu já me vejo chorando por Axe, por Robinson, por mim mesma, por meu melhor amigo, choro por medo, medo do que eu li e que em algum momento tudo se transforma-se em algo real em minha vida, eu senti tudo que Axe sentiu, e vivi cada um de seus medos .

  Tive vontade de abraçar Robinson e dizer que tudo ficaria bem , mesmo sabendo que não ficaria, eu só queria abraçar ele, assim como Axe fez . 

Um romance comovente, inspirado no próprio passado de James Patterson. Um testemunho sobre a força do primeiro amor e as suas consequências para o resto das nossas vidas.

Eu recomendo esse livro pra qualquer pessoa , pois as vezes aprendemos muito com um livro, com uma história .


Aprendi que a amizade é muito mais forte e intensa que qualquer coisa que possa existir entre duas pessoas, esse sentimento é mais forte que tudo, e se você tem um amigo(a) , diga que o ama(o) , diga ! Demonstre seus sentimentos , faça isso , curta sua vida mas jamais deixe aquele alguém de lado , curta junto com ele(a) enquanto ainda tem tempo .

Eu sempre vou lembrar de Axe e Robinson .


First Love

Capa original , não muito diferente da nacional , mas do mesmo modo muito linda . 

Compartilhar:

1 (Comentários Desativados)