Em breve | Jardins da Lua(O livro Malazano dos Caídos #1), de Steven Erikson


“Em termos de construção de universo e ambição narrativa, O Livro Malazano dos Caídos é talvez a série mais significativa da última década.” – Boston Globe

Desde pequeno, Ganoes Paran decidiu trocar os privilégios da nobreza malazana por uma vida a serviço do exército imperial. O que o jovem capitão não sabia, porém, era que seu destino acabaria entrelaçado aos desígnios dos deuses, e que ele seria praticamente arremessado ao centro de um dos maiores conflitos que o Império Malazano já tinha visto.

Paran é enviado a Darujhistan, a última entre as Cidades Livres de Genabackis, onde deve assumir o comando dos Queimadores de Pontes, um lendário esquadrão de elite. O local ainda resiste à ocupação malazana e é a joia cobiçada pela imperatriz Laseen, que não está disposta a estancar o derramamento de sangue enquanto não conquistá-lo.

Porém, em pouco tempo fica claro que essa não será uma campanha militar comum: na Cidade do Fogo Azul não está em jogo apenas o futuro do Império Malazano, mas estão envolvidos também deuses ancestrais, criaturas das sombras e uma magia de poder inimaginável.

Em Jardins da lua, Steven Erikson nos apresenta um universo complexo de cenários estonteantes e ações vertiginosas que mostram por que esta é considerada uma das maiores sagas épicas.

LANÇAMENTO: 13/03/2017 | NÚMERO DE PÁGINAS: 608 | BAIXE UM TRECHO DO LIVRO

SOBRE A SÉRIE MALAZANO DOS CAÍDOS

“Épico. Essa é a única palavra capaz de descrever O Livro Malazano dos Caídos.

Nesta série, impérios ascendem e são derrubados, grandes exércitos combatem em batalhas monumentais, magos ultrapoderosos e mestres espadachins se enfrentam em duelos eletrizantes. E tudo isso se inicia com Jardins da lua.

Em meio a esses eventos em escalas colossais, é fácil esquecer que, assim como na vida real, são as pessoas comuns que movem a trama. Aqui, os verdadeiros protagonistas são os soldados do exército malazano, muitas vezes forçados a se envolver em eventos que mal compreendem, precisando fazer o possível e o impossível para permanecer vivos. Nesta saga, eles são capazes de levar os próprios deuses a admitirem a derrota.

Steven Erikson também segue no contrafluxo de muitos autores de fantasia ao dar destaque à representatividade. Em suas obras, as mulheres têm importância e força tão grandes quanto as dos homens. A mesma tônica de igualdade vale no âmbito da diversidade étnica e da orientação sexual. Os personagens estão ocupados demais matando dragões para se preocupar com preconceitos mesquinhos.

Essa mistura entre o épico e o humano é o que faz de Jardins da lua uma obra notável. Cada detalhe tem um propósito, e histórias aparentemente desconexas vão convergindo aos poucos e de forma natural – como um mosaico, cujas peças podem não fazer sentido à primeira vista, mas, analisadas de longe, formam uma belíssima obra de arte.

Então você, que está com este livro nas mãos, siga o conselho do próprio Erikson e mergulhe fundo, sem moderação: ‘Vá direto na jugular!’” -Eduardo Schimitt - colunista do site INtocados


SOBRE O AUTOR
Steven Erikson é arqueólogo, antropólogo e diplomado na Oficina de Escritores de Iowa, nos Estados Unidos. Jardins da lua foi finalista do World Fantasy Award e a série O Livro Malazano dos Caídos já vendeu 2 milhões de exemplares no mundo inteiro, tendo sido traduzida para 23 idiomas. Steven Erikson vive hoje no Canadá, sua terra natal.

Você também pode gostar

0 (Comentários Desativados)

Postagens Recentes