Resenha | O Colecionador de Memórias, de Cecelia Ahern


Quando Sabrina Boggs se depara com uma misteriosa coleção de bens do pai, ela descobre uma verdade onde nunca soube que havia uma mentira. O homem familiar com quem ela cresceu de repente é um estranho para ela.

Uma quebra em sua rotina monótona deixa-a apenas um dia para destravar os segredos do homem que ela pensava conhecer. Um dia para desconhece memórias, histórias e pessoas que ela nunca soube da existência. Um dia que muda para sempre a vida dela e daqueles que a rodeiam.

O colecionador de memórias é uma história sobre como as decisões mais comuns que tomamos podem ter as consequências mais extraordinárias na forma como vivemos nossa vida. E como, às vezes, somente desvendando a verdade sobre outra pessoa, você realmente pudesse se entender.

Lançamento: 27/03/2018 - Número de Páginas: 272 - Gênero: Drama - Skoob

 

Em O Colecionador de Memórias acompanhamos o drama de Sabrina Boggs que busca pelas memórias de seu pai. A partir desta busca segredos são revelados que colocam em dúvida sua honestidade.

"Minha mãe diz que eu tenho uma queda para me lembrar do que os outros se esquecem. (...) Inadequado? Não. Creio firmemente que mesmo uma mudança súbita no comportamento de uma pessoa está dentro do contorno de sua natureza. Essa nossa parte está sempre presente, amortecida, apenas esperando por seu momento para ser revelado." Cecelia Ahern


"Com o lampejo de uma chama. O farfalhar de uma pluma. O cintilar da água do mar, quando o sol bate nela. Algo breve passou, mas estava lá. Logo que ele viu as bolinhas, era um homem diferente, com um rosto que eu nunca tinha visto."

Em O Colecionador de Memórias acompanhamos presente e passado completando-se em uma narração tempestuosa e dramática que releva segredos de uma passado esquecido por Fergus Boggs.

Fergus Boggs, pai de Sabrina Boggs, vive em uma casa de repouso desde que perdeu parte da memória ao sofrer um AVC. O drama de Sabrina inicia-se após algumas caixas com os pertences de seu pai terem que ficar sob sua responsabilidade. As caixas foram enviadas supostamente por sua mãe que mesmo depois do divórcio as mantinha em segurança mas Sabrina nunca soube o que havia dentro das caixas e ao abri-las fica surpresa por ser uma extensa e valiosa coleção de bolinhas de gude.

"Ao abrir a caixa de bolinhas de gude, abri, na verdade, uma caixa de problemas."

Sabrina ao perceber que os itens mais valiosos estão faltando começa a rastreá-los em uma busca rápida,  conforme encontra respostas descobre um passado de mentiras e obsessões.


A história de Fergus me emocionou, me fez refletir sobre a vida e em como nossas lembranças constroem memórias que levaremos sempre conosco mesmo que de forma inconsciente pois fazem parte de quem somos.

Nessa obra Cecelia Ahern nos apresenta a uma simples história com valiosas reflexões, seu personagem Fergus Boggs teve uma infância marcada por problemas familiares sendo o filho do meio de sete irmãos e que ainda criança teve a vida marcada pelas bolinhas de gude e mesmo que de uma forma isso em sua vida adulta tenha posto em risco tudo que havia de mais importante para ele isso é algo que sempre fará parte dele e de sua história. Acredito que em algumas situações é importante nos arrependemos de ter feito algo que poderia machucar alguém que amamos, mas e quando isso também nos machuca, nos destrói, mas não conseguimos evitar?

Cecelia Ahern nos lembra através de O Colecionador de Memórias sobre a importância de compartilha-las, no caso de Sabrina Boggs o espelhamento dessas memórias deu a ela aquilo que faltava para uma autodescoberta.

A grande questão dessa obra acredito que seja refletir sobre o quão pouco conhecemos aqueles que mais amamos e como isso pode interfer nossas relações e em nossa própria vida.

"Talvez seja verdade que a gente nunca se conhece até que outra pessoa verdadeiramente nos conheça."

Cecelia Ahern é irlandesa e formou-se em Jornalismo e Meios de Comunicação. Aos 21 anos escreveu seu primeiro romance, P.S. Eu te Amo, que se tornou best-seller imediatamente e foi adaptado para o cinema — assim como Simplesmente Acontece. A Lista, O Presente, O Livro do Amanhã e A Vez da Minha Vida também são best-sellers em todo o mundo. As obras de Cecelia Ahern são publicadas em 46 países e já venderam, ao todo, mais de 13 milhões de cópias. Ela vive em Dublin com sua família.

Compartilhar:

0 (Comentários Desativados)