Resenha | A História de Nós Dois, de Dani Atkins

domingo, maio 08, 2016

Uma mulher, dois homens, tantos destinos possíveis. Como essa história vai terminar?


Emma tem 27 anos, é linda e inteligente e vive cercada de pessoas que ama. Prestes a se casar com Richard, seu namorado desde a época de escola, ela não poderia estar mais empolgada. Mas o que deveria ser o momento mais feliz de sua vida de repente vira uma tragédia. Emma sofre um acidente e é salva por um estranho minutos antes que o carro em que ela viajava explodisse. Abalada, ela decide adiar o casamento. E nesse meio-tempo descobre segredos que a fazem questionar as pessoas nas quais sempre confiara a ponto de duvidar se deve se casar afinal. Para complicar, ela se sente cada vez mais ligada a Jack, o homem que a salvou e que não sai da sua cabeça. Jack é lindo, gentil e divertido, de um jeito diferente de todos que ela já conheceu. Por outro lado, é Richard quem ela sempre amou... 


Editora: Arqueiro | Páginas: 352 | Ano: 2016 | Adicionar: Skoob

Estreio Dani Atkins com a  " A História de nós dois ",  lançamento de Abril da Editora Arqueiro. Iniciei a leitura sem saber o que esperar e tive uma leve impressão de estar lendo um livro do Nicholas Sparks, porque este é livro me apresentou personagens com qualidades admiráveis, histórias de vidas tocantes e claro, tivemos romance, tragédias, assim como segredos e traições. É realmente um livro muito delicado, e a certo ponto romântico. 


Emma tem 27 anos, é linda, inteligente e vive cercada de pessoas que ama. Prestes a se casar com Richard, seu namorado desde à época da escola o que deveria ser um dos momentos mais feliz de sua vida fica marcado por uma tragedia

Há duas semanas do grande dia do seu casamento, Emma e suas duas melhores amigas retornam para casa após comemorarem uma despedida de solteiro. Ninguém espera que diante de um dia tão festivo à noite fosse marcada por medo e sofrimento. 

Um cervo surge na estrada e o carro capota, lançando Amy uma de suas melhores amigas para fora do veiculo, e Emma fica presa no banco de trás do carro que está prestes a explodir. Essa noite poderia ter sido marcada por uma tragedia maior, mas em meio a este cenário surge o tranquilo Jack Monroe que se mostra um herói ao arriscar sua vida para salvar a de Emma. 

O livro logo de início nos apresenta uma cena repleta de tensão e medo, e isso foi passado perfeitamente para mim, o que eu sentir foi uma vontade imensa de entrar no livro e salvá-las de alguma forma, e após a entrada do personagem Jack eu de igual com Emma me sentir menos temerosa, embora por trás da calmaria de sua presença o cenário fosse o mesmo, e a partir deste momento já pude perceber qual era o seu papel ao surgir desta forma neste momento delicado, então acredito que Dani Atkins fez uma belíssima introdução, onde me despertou muita curiosidade. O quão está tragedia afetaria a vida cotidiana de Emma? E onde isso a levaria no seu final? Muitas perguntas surgiram.

Jack consegue retirá-la do veiculo minutos antes da explosão, mas nem por um segundo ela se sente aliviada, pois sua melhor amiga Amy se encontra muito lesionada e com o resgate, é levada urgentemente para a sala de cirurgia. Após horas de espera por notícias, Emma é informada que sua melhor amiga Amy, que fora sua amiga por mais de 20 anos, faleceu. Jack, um desconhecido a conforta com um abraço que para Emma valeu mais que mil palavras de condolências.

" Richard passou o braço por minha cintura e me conduziu em direção à porta. Virei-me e olhei para Jack. Ele agora transparecia tão pouca emoção que eu não soube dizer o que pensava. Dirigi um breve e triste sorriso de deus ao homem que arriscara a vida para me salvar. Deixá-lo ali me dava a sensação de uma questão não resolvida, de uma vida não paga. Quando de seve a alguém a própria vida, talvez seja assim para sempre. " 

Emma e Jack após essa trágica noite se sentem ligados e não é por menos, ele é o herói desta história, e após diversas conversas Jack se mostra ser um homem incomum, ele possuí qualidades admiráveis, tudo é muito diferente quando ele está ao seu lado e uma amizade é selada.

Com a tragedia que levou sua melhor amiga, Emma decidi adiar o casamento e pede um tempo ao seu noiva para pensar sobre o que aconteceu e acaba por questionar se esta mesmo preparada para um casamento, e muitas outras duvidas surgem, segredos são revelados, assim como traições também acabam por marcar este enredo. 

Acredito que eu vi semelhanças entre a escrita de Dani Atkins e Nicholas Sparks, porque ela soube fazer uma mescla muito grande de sentimentos e emoções foram me passadas perfeitamente, assim como a tragedia foi muito emocionante, porém as semelhanças são somente essas.  

Na minha opinião não houve um triangulo amoroso, apesar de termos uma personagem confusa sobre seus sentimentos. Seu noivo ficou apagado na história e o personagem Jack ficou muito presente no enrendo principal. Mas, Emma teve que fazer uma escolha muito difícil, Jack e Richard são personagens bem diferentes e me mostraram qualidades diferentes, assim como atitudes totalmente diferentes, porém apesar deste distanciamento do Richard da cena principal sem duvida ele é um personagem que merece atenção, tem o seu diferencial e admirei muito o fato dele se preocupar com a saúde da mãe de Emma que sofre com o Alzheimer, é admirável como após todos os acontecimentos descritos na narração ele continua a tentar reconquistar Emma.


A História de nós dois é um romance muito autêntico e emocionante. É perfeito para quem procura histórias que a cada virar de páginas emoções fluem intensamente. Neste enredo temos uma mescla de angustia à complacência, e raiva à aceitação, assim como também personagens altruístas como Emma que mesmo diante de tantos conflitos pessoais, se preocupa com a saúde da mãe, a debilidade do pai e ainda encontra motivos para sorrir.

" Peguei o anel de sua mão e ergui os olhos para ele, hesitante. Não era um pedido de casamento, ele não estava me propondo que eu fosse sua esposa, ao menos não por enquanto. Então, em que dedo eu deveria usar o anel? Seu sorriso era gentil enquanto o observava minha confusão. Ele pegou o anel da minha mão e o segurou suspenso sobre o quarto dedo da mão esquerda. (...) Era um encaixe perfeito. Exatamente como nós. " 

Você também pode gostar

0 (Comentários Desativados)

PARCEIROS

Fãs do Blog

Seguidores (2342) Próxima

PUBLICIDADE