Resenha | Trama, de Michael Jensen e David Powers King

quarta-feira, julho 06, 2016


O sonho de Nels era ser cavaleiro do reino de Avërand. Filho obediente, ajudava como podia os moradores de sua pequena e tranquila aldeia. Querido por todos e tratado como herói, acreditava que logo seria selecionado como escudeiro da cavalaria. 

Mas isso foi antes de ser assassinado por uma figura misteriosa. 

Nels virou um fantasma, e agora só uma pessoa consegue vê-lo: a princesa Tyra, herdeira do reino e sua única esperança de entender o motivo do crime. A princípio, a jovem mimada não dá a menor confiança para o rapaz, mas, à medida que o mistério da morte dele vai se desenrolando, os dois percebem que têm em comum um segredo e um inimigo terrível, que pode se disfarçar de qualquer pessoa. 

Nels e Tyra não têm escolha. Precisam fugir do castelo, desbravar um mundo oculto repleto de magia e espectros sombrios e encontrar uma agulha, a relíquia capaz de remendar o que foi descosturado na Grande Tapeçaria. E o tempo corre contra eles, pois o fio de Nels está prestes a desaparecer para sempre.

Editora: Arqueiro | Ano: 2016 | Páginas: 304 | Adicionar: Skoob/Goodreads


Trama foi lançamento da Editora Arqueiro no mês de Abril, e após muita reflexão decide dar-lhe uma chance. Precisei de quase dois meses, porque não costumo ler fantasias com aventuras, geralmente as minhas expectativas não são superadas e isso acabou depois de anos excluindo este gênero da minha lista de leituras. Lógico, existe muitos livros de aventuras e fantasias realmente bons, porém eu sei que o meu gênero literário é romance e sou tão apegada aos romances que meu nariz se torce precipitadamente e muitas vezes sou surpreendida, como foi o que aconteceu com está leitura. 

Michael Jensen desenvolveu uma história deliciosa, e muito bem tramada que se tornou fantástica aos meus olhos, pois fui guiada por uma ideia tão original e por personagens determinados e apaixonados que não pude resistir ao conjunto desta obra. 


Na Vila das Pedras no Reino de Avërand conhecemos o jovem de dezessete anos, Nels conhecido por todos da Vila como o Cavaleiro de Vila das Pedras por sua força e incríveis habilidades em luta livre. 

Nels sempre sonhou em ser um cavaleiro de Avërand, e movido por este sonho desobedece sua mãe após conhecer um senhor misterioso chamado Ickabosh, o alfaiate da família real. 

Ickabosh, se diz ser amigo de longa data de sua mãe e termina convencendo-o a ser sua companhia a caminho do Festival anual de Vila das Pedras. Nels, obediente nunca compareceu ao festival a pedido de sua mãe mesmo sabendo que esta era a sua única chance de realizar o seu sonho.

Neste festival a família real comparece para escolher escudeiros para a cavalaria, o primeiro passo dos futuros cavaleiros reais. Ao chegar ao festival, Nels descobre que neste ano não haverá escolha de escudeiros, não sendo mais necessários. E, após ser humilhado e rejeitado pela princesa Tyra ao vencer uma luta livre com Arek, o cavaleiro favorito de Avërand, Nels repensa seus objetivos. 

Ao retornar para casa Nels é abordado e covardemente assassinado. Mas, misteriosamente se ver um fantasma e encaminhado de uma missão ao lado da única pessoa que consegue vê-lo, a arrogante princesa Tyra. 

Com o episódio ocorrido no festival a relação entre Nels e Tyra é espinhosa, eles não conseguem se entender, pensam e agem de formas diferentes. Tyra se mostra mimada e arrogante e, Nels a seus olhos não passa de um infeliz plebeu que não teve sorte por morrer tão jovem. 

" Ela o encarou com um olhar afiado como faca. Ele não se abalou. Não havia traço de medo nele, quando qualquer outra pessoa teria se encolhido aos seus pés. Ninguém mais ousaria agir assim, nem fazer acusações ofensivas na sua presença. Morto ou vivo, esse camponês não deveria ser diferente. " 

Desde a primeira página me vi envolvida com o enredo de Trama, por ser tão ritmítico. A estória deste livro é tão aconchegante, profunda que apesar de desejar nem existe a necessidade de uma sequência por sua complexidade, pelo menos não para mais uma história centralizada em Nels e Tyra.

Há muitos mistérios em torno de Nels, e uma justificativa para a Tyra ser a única pessoa a conseguir vê-lo em sua belíssima forma fantasmagórica. O motivo é aceitável, acredito que se eu tivesse pensado só mais um pouco talvez tivesse pego a pontinha desta linha de raciocínio. 

Após visitarem Bosh, o alfaiate real, eles são informados sobre uma parte de um segredo a muitos anos guardado pela família real que terminou por ocasionar a morte de Nels e partem então para uma missão em busca de um objeto raro e mortal, caso manuseado de forma errônea. A Agulha de Gailner.

" (...) Não é uma agulha comum. Essa agulha específica foi feita pessoalmente por Gailner, o primeiro alfaiate que teceu o tecido a Urdidura. A agulha dá a qualquer um que a use o poder de alterar o tecido da realidade. Nenhuma alma viva viu a Agulha, e pouco sabem de sua existência: ela esteve perdida durante séculos. "

Nesta incrível aventura, Tyra e Nels enfrentam a morte constantemente e fazem novas e estranhas amizades pelo o percurso. Perseguidos por uma figura misteriosa o final desta aventura surpreende com revelações e a descoberta de um incrível sentimento que fora escrito costurado pelo o destino.

Destino, intrigas, aventuras e perigos são as palavras que descrevem está história. Informo para quem não gosta de romance que ele foi medido em baixa dose o que na minha opinião só teve a acrescentar em minha avaliação.


Todo mundo faz parte de uma trama, não imaginamos o que o destino nos reserva. Michael Jensen passou 10 anos desenvolvendo o conceito de Trama antes de conhecer seu coautor David Powers King que expandiu sua visão e a transformou em realidade. Acredito que esses anos em que está história ficou sendo desenvolvida foi a medida perfeita, nem mais e nem menos, tudo em Trama foi fascinante, desde a ideia aos personagens, a sua narração... O final. Não teria como ser melhor.

Você também pode gostar

0 (Comentários Desativados)

PARCEIROS

Fãs do Blog

Seguidores (2342) Próxima

PUBLICIDADE