Resenha | Mar da tranquilidade, de Katja Millay

sábado, março 19, 2016


" Talvez eu ainda não seja capaz de acreditar no perdão, mas consigo acreditar na esperança e gostaria de acreditar no sonho das segundas chances. " 

Nastya Kashnikov foi privada daquilo que mais amava e perdeu sua voz e a própria identidade. Agora, dois anos e meio depois, ela se muda para outra cidade, determinada a manter seu passado em segredo e a não deixar ninguém se aproximar. Mas seus planos vão por água abaixo quando encontra um garoto que parece tão antissocial quanto ela. É como se Josh Bennett tivesse um campo de força ao seu redor. Ninguém se aproxima dele, e isso faz com que Nastya fique intrigada, inexplicavelmente atraída por ele.

A história de Josh não é segredo para ninguém. Todas as pessoas que ele amou foram arrancadas prematuramente de sua vida. Agora, aos 17 anos, não restou ninguém. Quando o seu nome é sinônimo de morte, é natural que todos o deixem em paz. Todos menos seu melhor amigo e Nastya, que aos poucos vai se introduzindo em todos os aspectos de sua vida.

À medida que a inegável atração entre os dois fica mais forte, Josh começa a questionar se algum dia descobrirá os segredos que Nastya esconde – ou se é isso mesmo que ele quer.



Páginas: 368 | Ano: 2014 | Adicionar: Skoob



Eleito um dos melhores livros de 2013 pelo School Library Journal, Mar da Tranquilidade é uma história rica e intensa, construída de forma magistral. Seus personagens parecem saltar do papel e, assim como na vida, ninguém é o que aparenta à primeira vista. Um livro bonito e poético sobre companheirismo, amizade e o milagre das segundas chances.




Quando eu soube do lançamento de Mar da Tranquilidade fiquei me questionando se valeria a pena obtê-lo e ler seu conteúdo, me pareceu mais um drama de superação adolescente. Não sei exatamente o que me motivou a lê-lo, acredito que os comentários emocionantes e as recomendações dentre os livros que deveria ser lido pelo menos uma vez na vida me deixou curiosa, me chamou a atenção e sinceramente eu não esperava gostar tanto da escrita de Katja Millay. 

" Pessoas que nunca passaram por merda nenhuma sempre acham que sabem como você deve reagir ao fato de sua vida ter sido destruída. E aquelas que passaram por situações complicadas acreditam que você deveria lidar com as dificuldades do mesmo jeito que elas. Como se existisse um roteiro preestabelecido para sobreviver ao inferno. "

Como dito na sinopse, Nastya Kashnikov foi privada daquilo que mais amava e perdeu sua voz e a própria identidade. Após dois anos e meio desde um incidente que mudou sua vida mudasse para uma outra cidade disposta a deixar seu passado para trás e iniciar uma nova jornada em sua própria solidão.

Nastya Kashnikov é linda, perspicaz, inteligente, espirituosa e misteriosamente incomunicativa por opção. Nastya Kashnikov é um mistério. Na nova escola é atraída por  Josh Bennett um garoto que parece ser tão antissocial quanto ela. 

Josh Bennett é definitivamente um personagem digno de admiração e pena, após perder praticamente toda a sua família se ver sozinho no mundo, mas aparentemente isso não é um problema.

Rodeados por um mundo que só lhe trouxeram sofrimento, a única alternativa é a privatização e a solidão, Nastya e Josh são sobreviventes e apesar da pouca idade já passaram por situações que para qualquer outro jovem seria motivo suficiente para um suicídio, mas eles são sobreviventes no fim das contas, para muitos a vida os deu uma segunda chance.

" — Por que você a chama de querida e nunca usa expressões carinhosas comigo?” “ — Eu uso sim. Na semana passada eu chamei você de ‘a cruz que eu carrego'”. “ — É mesmo. Nesse dia você estava inspirada.”

Certa noite ao sair para um corrida noturna, Nastya para em frente a casa de Josh e o encontra em sua garagem, a partir desta noite uma conexão silenciosa é selada, e pela primeira vez em anos  para Nastya está estranha ligação de compreensão mutua silenciosa é a sua maior motivação para se erguer e lutar por justiça.

Definitivamente este livro é perfeito para admiradores de dramas, não é um simples romance e a construção do mesmo é feita de forma lenda, o que nos dá tempo suficiente para entendermos a relação compartilhada entre estes dois jovens, por hora é confusa por não ser revelado os pensamentos de Nastya, ou mesmo seus tormentos pessoais, ela é um mistério ambulante, e isso me agradou muitíssimo porque se fosse nos dito desde o início tenho certeza que algo importante teria passado despercebido, a emoção não seria a mesma. 


Mar da tranquilidade é um livro intenso, cujo a história poética é sombria e a certo ponto bonita, a escrita detalha todos os acontecimentos de forma lenta o que acrescentou aos romance uma ideia de realismo e tirou o ar artificial de alguns dramas adolescentes.  A história de Nastya e Josh enquadra amizade, companheirismo e dor em um cenário calmo, tranquilo, porém o ponto mais positivo e admirável na narração é como o personagem Josh mesmo sob uma forte nuvem de tristeza soube lidar com a realidade de Nastya, a deixando confortável a ponto de fazer com que ela se sentisse segura e finalmente revelasse aos poucos sua verdadeira identidade sem fazer julgamentos, ou mesmo perguntas. Este livro me emocionou muito e confesso chorei bastante por todos os sentimentos reprimidos da personagem Nastya e pelo isolamento de Josh. Sem duvida que este não é só mais um simples drama adolescente.

Você também pode gostar

0 (Comentários Desativados)

PARCEIROS

Fãs do Blog

Seguidores (2342) Próxima

PUBLICIDADE