Resenha | Sempre, de J. M. Darhowe

domingo, janeiro 24, 2016


" Você foi trazida a mim por uma razão; para que nós salvássemos um ao outro. Você não era a única que precisava ser salva, Haven. Eu estava me afogando e você me estendeu a mão; me salvou."


Haven Antonelli e Carmine DeMarco tiveram infâncias muito diferentes. Haven, uma escrava de segunda geração, cresceu isolada no meio do deserto, seus dias cheios de trabalho e aterrorizantes abusos. Carmine, nasceu em uma rica família mafiosa, vivendo uma vida de privilégios e nunca tendo que responder pelas coisas que fazia. Ambos agora possuem dezessete anos, uma reviravolta do destino faz com que seus mundos se colidam, fazendo-os questionar tudo o que sempre acreditaram. Enredados numa teia de segredos e mentiras, eles aprendem que, embora diferentes na superfície, eles têm mais em comum do que qualquer um pensaria. Em um mundo cheio de caos, onde o dinheiro e o poder comandam, Haven e Carmine anseiam se libertar, mas uma série de eventos que começou antes de nascerem ameaça destruí-los. Assassinato e traição são uma forma de vida, e nada vem sem um preço-- especialmente não a liberdade.

Quanto eles vão ter que sacrificar? Eles podem escapar de seu passado? E, acima de tudo, o que significa ser livre? Nem tudo é o que parece, e ninguém pode sair ileso, mas talvez, apenas talvez, isso vai valer a pena no final.

Editora:Universo dos Livros | Páginas: 544 | Ano: 2015 | Adicionar: Skoob


Conheci " Sempre "  de J. M. Darhowe por acaso através de uma arte e quando li sua descrição foi amor à primeira vista. Logico que eu não esperava me apaixonar tanto pela história de Haven e Carmine, mas quando terminei a leitura fiquei com um nó sufocante na garganta que eu quase não conseguia respirar. 

A cada leitura fico admirada com a intensidade dos sentimentos que os autores são capazes de me proporcionar com suas histórias. " Sempre " é um livro que jamais irei conseguir descrever em palavras, os dias e as noites que passei lendo-o jamais serão esquecidos.

Senti como se tivesse sido minha primeira leitura, pois este livro me deu fé e a esperança que me faltava, ele me deu sonhos à imaginar. Fui apresentada a personagens incríveis que precisavam desesperadamente de uma salvação e que mesmo no fim apesar de terem permanecido na mesma situação ou pior, eles conseguiram se salvar, o perdão que faltava foi concedido e um presente certo foi lhes dado,  infelizmente o futuro continua incerto.

Esta é uma história dramática que gira em torno de um só sentimento, o maior de todos, por ele são capazes de sacrificarem a própria vida se isso significa a salvação de quem se ama. A família vem sempre em primeiro lugar para os DeMarco !


Em " Sempre " conhecemos Haven, uma jovem de dezessete anos que desde os 5 anos de idade vive aprisionada por uma máfia poderosa. Sem ao menos saber o motivo, Haven cresceu sofrendo torturas psicológicas por viver em um ambiente totalmente impróprio para qualquer ser humano. Mas, Haven cresceu e tudo que quer é ser libertada, sentir o ar puro que a liberdade proporciona. Infelizmente se depender do seu ' mestre ' ela nunca irá desfrutar desta sensação, até que um dia em uma tentativa de fuga ela encontra o Dr. Vicente DeMarco, e este lhe da abrigo em sua casa, ou melhor dizendo em sua mansão?

Vicente DeMarco é um italiano digno de muito respeito, autoritário e justo Vicente dar abrigo a Haven e a oferece tudo do bom e do melhor, infelizmente apesar de todos os privilégios não consegue se sentir liberta, mas aos poucos sua triste realidade vai dando espaço para um futuro feliz ao lado da família de Vicente.

Neste enredo fomos apresentados aos dois filhos de Vicente que assim como ele são Italianos encantadores, mas como toda família tem a ovelha negra nesta não poderia ser diferente. Carmine DeMarco  de dezessete anos, é rebelde e adora um bom palavrão, sempre contraria seu pai e sempre termina de castigo, o que não é tão ruim quando se tem tudo ao alcance. 

Vicente e seus dois filhos são incríveis e por mais que Vicente tenha seus dias ruins eu fiquei extremamente encantada com ele, é incrível sua construção e evolução ao longo da narração. Ele é o tipo de personagem que não sabemos de fato do que ele é capaz, ele tem várias faces e o melhor surpreendente é que em algum momento paramos a leitura e ficamos pensando em toda a dor e sofrimento sentido por ele, como deve ser ruim carregar em seus ombros tamanha responsabilidade e crueldade. Sem duvida que ele não é um vilão, pelo o contrário é um herói por se por a tantas situações para salvar seus filhos e aqueles que ama. Felizmente, essa qualidade foi passada por genética aos seus filhos, pois assim como ele são incríveis por demonstrar tamanha bondade de amor ao próximo, diferente de muitos personagens jovens caracterizados como PlayBoys eles são carismáticos e não usam do poder uma moeda de troca. 

Sem dúvida que diante de um cenário tão terrível e assustador, Haven poderia sim em algum momento voltar com sua alto estima ao ser acolhida por eles, ela tem consciência que sua vida tende a piorar, todos eles tem está realidade em suas mentes, mas não falta amor e solidariedade na família DeMarco. 


Quando eu soube que este livro era uma adaptação da Saga Crepúsculo eu fiquei imensamente feliz, sou apaixonada pela família Cullen, sou louca pelo o universo que Stephenie Meyer criou. Já vi muitos comentários que este livro não é muito similar a Saga, porém como fã de ambas histórias posso dizer que sim, existe semelhanças pois a forma como foi construída a família DeMarco e a personagem Haven no enredo sem dúvida que carregam uma semelhança surpreendente devido a todo o acolhimento e transparência no enredo. 


Sempre de J. M. Darhowe é um livro que recomendo a todos os leitores, não sei se irá surpreender assim como me surpreendeu, mas tenho que certeza que irão gostar, eu poderia recomendar pelo o romance entre Haven Antonelli e Carmine DeMarco, porém é um romance em uma enredo complexo, nele é abordado situações reais, parece surreal imaginar que ainda hoje existem mulheres que se submetem a tamanha submissão, esta abordagem sem dúvida foi algo que me prendeu na leitura, eu gostaria de desvendar o mistério, gostaria de ver a casa cair literalmente, é estranho como nos sentimos presos nos personagens, eu me vi como Haven e me senti acolhida pelos DeMarco, fui conquistada por Sempre de uma maneira simples, natural.  

Você também pode gostar

0 (Comentários Desativados)

PARCEIROS

Fãs do Blog

Seguidores (2342) Próxima

PUBLICIDADE