Resenha | The Kiss of Deception de Mary E. Pearson

quarta-feira, dezembro 30, 2015


" Às vezes o inimigo é apenas uma pessoa que vai derrubar um reino. "



Em uma sociedade mergulhada na tradição, vida de princesa Lia segue um curso predeterminado. Como primeira filha, ela deverá ter o reverenciado dom da visão — mas ela não — e ela sabe que os pais dela são perpetrar uma fraude quando eles organizam seu casamento para assegurar uma aliança com um reino vizinho — a um príncipe ela nunca conheceu.O dia do casamento, Lia foge para um vilarejo distante. Ela se fixa em uma nova vida, esperançoso quando dois estranhos misteriosos e bonitos chegarem — e sem saber que um é o príncipe rejeitado e o outro um assassino enviado para matá-la. Decepção é abundante, e Lia encontra-se à beira de desbloquear segredos perigosos — mesmo que ela encontrar-se apaixonada.


Editora: Henry Holt | Autora: Mary E. Pearson | Páginas: 492
*Será lançado por DarkSide Books, previsto para Abril.

Ultimamente estou tão solitária que estou a procura de livros que por algum motivo ainda não se encontram nas livrarias brasileiras, e como estou me viciando nos livros estrangeiros mais ainda eis aqui a resenha da minha última leitura. " The Kiss Deception " foi uma recomendação, gostei muito da sinopse e eu não tinha nada a perder e logo iniciei a leitura.


Eu não conhecia os livros de Mary E. Pearson, na verdade não a conhecia e quando eu iniciei a leitura percebi que sua escrita é muito instigante e consegue prender o leitor apesar da confusão em que ela deixou minha mente com este livro. 

Em The Kiss of Deception, conhecemos a jovem Lia, uma moça pobre que vive em um vilarejo isolado. Lia um dia foi Arabella Celestine Idris Jezelia, uma princesa. Está história se iniciou quando Isabella, ou simplesmente Lia fugiu minutos antes de consumar um casamento com um príncipe que ela nem ao menos conhecia. Não suportando o futuro infeliz que previra decidiu fugir levando consigo sua fiel amiga.

Lia conseguiu se firmar em um pequeno vilarejo distante e conseguiu a confiança da população e também um trabalho em um estabelecimento popular. Mas, em uma certa noite sua rotina foi abalada com a chegada de dois forasteiros misteriosos e bonitos. Os rapazes se chamam Rafa e Kaden, ambos estão lá com propósitos distintos e Lia desconfia que a presença deles representa perigo.


  • Rafe é extremamente bonito, sendo dono de uma voz prepotente consegue irritar Lia tão facilmente quanto deixa-la inebriada com seus lindos olhos incrivelmente azuis. 
  • Kaden é atraente sendo dono de uma postura elegante e persuasiva, consegue arrepiar Lia somente com o olhar. 

É muito difícil não se perguntar a cada pagina lida quem é o Príncipe e o Assassino. Apesar do livro ter capítulos narrados pelos os três personagens não da para descobrir quem é quem, sendo revelado realmente quem é o assassino somente no final.  A atração de Lia por ambos ficou muito clara, porém na minha opinião não houve triângulo amoroso, o que é uma característica que particularmente eu não gosto em um romance, apesar de muitos leitores gostarem deste joguinho, eu me irrito muito com uma personagem confusa que não sabe o que quer e sendo este livro basicamente um conto sombrio onde existem príncipes e princesas é algo a se esperar certo? Errado! Mary E.Pearson pode até ter enganado muitos leitores ao não revelar a identidade dos personagens, mas ficou muito claro a quem pertence o coração de Lia e sinceramente, eu gostei muito do final, foi um breve até logo com uma chama linda de esperança.

Rafe e Kaden são personagens fortes e dominam muito bem qualquer situação, a personalidade deles são bem diferentes, porém existiram algumas semelhanças, ambos sabem aparentar gentileza e desprezo facilmente e creio que tenha sido por isso que a Lia tenha se interessado por breves momentos por um dos rapazes.  



Mary E.Pearson provavelmente chegará no Brasil em 2016 pela Editora DarkSide. Eu parabenizo Mary por sua fantasia ousada e intrigante, além de parabeniza-la por seus personagens e principalmente pela construção de Lia que é extremamente determinada e forte, apesar de no início ter mostrado sua fraqueza ao fazê-la desistir de um casamento arranjado, porém eu vi isso como o ato virtuoso, corajoso e mais um ponto forte em sua personalidade em não tolerar que ninguém dite ordens ao que ela deve ou não deve fazer. Infelizmente da forma em o livro terminou creio que ela terá sim que se submeter aquilo que não quer nem que seja a força.

Você também pode gostar

1 (Comentários Desativados)

PARCEIROS

Fãs do Blog

Seguidores (2342) Próxima

PUBLICIDADE