Resenha | Como Viver Eternamente de Sally Nicholls


" As pessoas podem viver por um ano inteiro ou mais. E eu já cheguei quatro meses. Um ano é muito tempo. Qualquer coisa pode acontecer em um ano. "


Meu nome é Sam. Tenho onze anos. Coleciono histórias e fatos fantásticos. Quando você estiver lendo isso, provavelmente já estarei morto. Sam ama fatos. Ele é curioso sobre óvnis, filmes de terror, fantasmas, ciências e como é beijar uma garota. Como ele tem leucemia, ele quer saber fatos sobre a morte. Sam precisa de respostas das perguntas que ninguém quer responder. ”Como Viver Eternamente”, é o primeiro romance de uma extraordinária e talentosa jovem autora. Engraçado e honesto, este é um livro poderoso e comovente, que você não pode deixar de ler. A autora tem apenas 23 anos e embora seja seu primeiro livro, ele está sendo lançado em 19 países, dirigido a crianças, adolescentes e adultos.


Editora: Geração Editorial  | Páginas: 232 | Gênero: Drama | Ano: 2014



Me lembro como se fosse ontem do lançamento deste livro, os blogues que eram parceiros da Geração Editorial apresentando o lançamento que veio com lenços, eu logo pensei: Preciso deste livro. Passou-se meses, eu tentei ganhar em sorteios, promoções e nada, até que finalmente consegui adquirir o livro digital e não me arrependo por ter esperado tanto, acredito que para tudo tem seu momento e ainda terei este livro em minha estante.

E para quem deseja ler " Como viver eternamente " só deixo um aviso, se não está disposto a chorar que nem um bebê, nunca leia "Como viver Eternamente", mas se esta interessado em conhecer de pertinho uma história linda e inspiradora, leia.


O narrador personagem deste livro se chama Sam e ele tem Leucemia Linfoblástica Aguda.


Antes de começar a ler tive que parar para pensar se realmente eu estava preparada para a avalanche de sentimentos que certamente eu sentiria. Decidi entrar de cabeça e chorei, chorei muito, mas não me arrependo mesmo que não houvesse o aviso, mesmo que eu não soubesse de nada eu iria chorar, é difícil não se emocionar com esta história. 


Sam é uma garoto esperto e muito curioso, por isso após uma idéia de sua professora ele começa a escrever um livro com respostas de perguntas que ninguém sabe responder, ou que não respondem para protegê-lo. Ele e o seu amigo Felix, têem aulas particulares três vezes por semana com a Sra. Willis, está que teve a idéia de registrar fatos ou acontecimentos, daí que surgiu a idéia do livro e apesar do Félix não se interessar por nada que venha da professora ele gostou e começa a ajudar Sam com as respostas.

Félix é mais velho que Sam e são amigos há um bom tempo, se conheceram no hospital onde faziam tratamento e, apesar de serem bem diferentes se entendem muito bem. Ao longo da história surge várias perguntas e respostas, as vezes algumas delas são contraditórias pois Sam e Félix pensam diferentes sobre certos assuntos, como por exemplo: Sam acredita em Deus, Félix não. Depois de um dia maravilhoso ao lado de seu amigo Felix, Sam fica sabendo no dia seguinte que ele havia sido internado e que estava muito ruim, depois disso começo a me desesperar e chorar compulsivamente.

Eu me senti muito fragilizada e de certa forma arrependida por não ter dado devida atenção ao Félix, as vezes isso acontece me apego mais aos personagem que está narrando e foi isso que aconteceu. Nunca ficou muito claro qual era sua real condição do estado de saúde de Félix, nem mesmo foi dito qual doença que ele tinha e por essa nem Sam esperava. Não imagino isso acontecendo com ninguém próximo a mim, séria muito ruim e para Sam não foi diferente, sua doença fica mais forte e ele mais fraco.

Logo se inicia uma corrida contra o tempo, Sam não pode mais fazer quimioterapia, já tentou combater as células malignas 2 vezes e infelizmente foram tentativas vãs, com a perda de seu melhor amigo a doença progrediu e  seus remédios não surtem mais efeito, era hora de realizar seus desejos antes que fosse tarde demais.


Sempre me surpreendo com os finais de livros com dramas deste tipo, sempre acho impossível terminar de uma forma que irá me deixar chocada e sempre me decepciono pois sempre termina da forma mais incrivelmente possível de se descrever, a partida de Sam foi mágica literalmente, uma das coisas mais lindas que já li nesses longos anos de leitora.
Me restou uma pergunta que nunca será respondida, o que o pai de Sam pensava ao parar de ler seu jornal para observar Sam escrever em seu livro?  O que um pai pensa quando ver um filho que está morrendo, quando não se pode fazer nada para impedir tal sofrimento, o que o seu pai sentia? Ficou bem claro na narração que além da mãe de Sam, seu pai era o que mais sofria porém não demonstrava, ele sempre perguntava para o filho se estava tudo bem de uma forma tão desesperada, esperando somente ouvir uma resposta positiva mesmo sabendo que não estava, essa foi sem dúvida a imagem mais triste que eu imaginei neste livro, fico com nó sufocante na garganta só de relembrar.

" Não é um livro que nos traz dicas de como viver eternamente e sim nos mostra como Sam conseguiu, mesmo depois de sua morte, viver eternamente em nossos corações". - Geração Editorial



Depois de ler este emocionante livro pretendo conhecer outras obras de Sally Nicholls, fico feliz em saber que a Geração Editoral lançou um outro livro dela, "Temporada de Segredos "




Sinopse: Perdida de sua irmã, Molly vê um rapaz sendo caçado numa floresta. Aterrorizada, ela tenta ajudá-lo e sente compaixão. Voltando para a casa de seus avós, conta a todos o que ocorreu, mas quando procuram o homem ferido, não o encontram e atribuem a imagem à fértil imaginação da menina. No dia seguinte, numa velha igreja, Molly percebe, surpresa, que o rosto daquele misterioso rapaz está esculpido em uma coluna. Quem seria ele?No desenvolver da história, nos envolvemos com o misto entre mistério e magia que envolve aquela noite de perseguição, ao mesmo tempo em que nos sentimos comovidos pela triste histórias das irmãs, órfãs de mãe e levadas pelo pai para serem criadas pelos avós. Vemos o texto se desenvolver pela ótica de Molly, o que nos leva a imaginar o mundo dela, como uma criança. Ao mesmo tempo, o livro nos faz lembrar das fábulas de infância que tanto admirávamos e nos causa grande impacto, pelo fato de alguém tão jovem ter que lidar com algo tão complexo como a doença e a morte da mãe.

Você também pode gostar

0 (Comentários Desativados)

Postagens Recentes